sexta-feira, 22 de outubro de 2010

Poema de Antônio Mariano

Um adeus


boca ensangüentada
de batom, palavra amor,
sol, vertigem rápida




árvore, bem-te-vi louco
seio tépido, pátria
cabelos voando, agosto



inundados olhos,
sorrir fácil, apetite
de quebrar relógio



futuro magro, dor muita

2 comentários:

  1. Por isso repito que prefiro Antônio Mariano em verso. Ele verseja bem.

    ResponderExcluir
  2. Acredito que este seja um dos mais belos poemas de Mariano.

    ResponderExcluir