quarta-feira, 20 de abril de 2011

Poema de Augusto dos Anjos

Hoje, celebramos os 127 anos de nascimento do poeta Augusto dos Anjos e também o dia do Escritor Paraibano.

E não há forma melhor de registrar a data do que com poesia.

A IDÉIA

De onde ela vem?! De que matéria bruta
Vem essa luz que sobre as nebulosas
Cal de incógnitas criptas misteriosas
Como as estalactites duma gruta?

Vem da psicogenética e alta luta
Do feixe de moléculas nervosas,
Que, em desintegrações maravilhosas,
Delibera, e depois, quer e executa!

Vem do encéfalo absconso que a constringe,
Chega em seguida às cordas da laringe,
Tísica, tênue, mínima, raquítica...

Quebra a força centrípeta que a amarra,
Mas, de repente, e quase morta, esbarra
No molambo da língua paralítica!

2 comentários:

  1. Hard to understand...in English :)

    ResponderExcluir
  2. Yes, I don't know an English version for this poem.But it is beautiful.

    ResponderExcluir