segunda-feira, 6 de fevereiro de 2012

Poema de circunstância de Thiago Lia Fook


 trinta e três mineiros
imersos no escuro

a terra lhes serve
de ventre ou de túmulo?

são pais e maridos
e filhos comuns

que o risco da morte
transforma em luz

câmera e ação:

no palc'o espetáculo
na mina o canudo
a sugar
lentamente
minuto a minuto
do suco de cobre
as carnes em cubo

o grito engasgado
nas minas de ossos
angústia e músculos
 

7 comentários:

  1. Respostas
    1. Esse é um dos seus poemas mais fodas que já li, Thiago. Ótimo, ele.

      Excluir
  2. é sempre bom viajar ao som de seus poemas, meu lord.
    abraço

    ResponderExcluir
  3. Mestre Jairo! Esse Thiago é poeta de verdade, amigo. Grata surpresa. Abraços! Paulo Emmanuel

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Considero Thiago um dos melhores de nossa geração, amigo Paulo. Seu livro Poesia natimorta é leitura mais que recomendada.
      abraço

      Excluir
  4. E a incerteza é o que mais sufoca.

    ResponderExcluir
  5. Félix e Flávia, Obrigado por viajarem conosco.
    abraço

    ResponderExcluir